Uva é Low Carb ? Veja Se Pode Comer Uva Na Dieta

A uva é uma fruta muito conhecida por dar origem ao vinho, famosa bebida consumida ao longo do mundo todo. Porém, os benefícios para quem consome essa fruta são inúmeros e optando por comer a fruta ao invés do vinho serão aproveitados muito mais nutrientes pois ela tem a vantagem de não ter o teor alcoólico.

As espécies são as mais distintas possíveis indo desde as cores: rosa até preta. E quanto mais escuro o tom mais antioxidantes ela carrega e por isso cada espécie em si possui uma característica e benefícios específicos apesar disso, o importante para a saúde é consumir aquela variedade em que mais lhe agrada o paladar.

Existem diferenças na hora de plantio e cultivo da uva para consumo que é popularmente conhecida como uva de mesa e a uva para fazer o vinho, que nesse caso é um pouco mais amarga e o grão é um pouco menor e com a casca mais grossa. A uva para consumo geralmente os grãos são maiores e o gosto é mais adocicado.

A uva é um alimento que de baixo índice glicêmico, ou seja, quando consumida não causa picos de glicose no sangue pelo fato de ser lentamente absorvida pelo corpo, ainda que, seja uma fruta com o teor de carboidratos considerado alto por ser uma fruta, ela ainda é um bom alimento por causa disso.

Ela contém uma propriedade muito importante chamada Resveratrol, esse componente está em toda a sua composição, mas costuma ter maiores níveis em sua casca. Esse componente além de otimizar a energia que vai para as células fazendo com que o trabalho muscular seja mais eficiente também é conhecido por manter a saúde e juventude da dele.

Acredita-se também, que esse componente aumente o gasto energético no tecido muscular, que faz com que o corpo queime mais calorias naturalmente. Agindo assim como um poderoso termo gênico natural. 

Esse componente é mais poderoso do que os tradicionais antioxidantes e tem esse poder se consumido regularmente. Ele é vendido até isoladamente nas indústria da beleza. Mas é um componente diretamente extraído da Uva, em si.

Esse alimento é extremamente importante quando se fala na saúde do coração. As paredes das veias vão perdendo a elasticidade e sofrem ao longo dos anos um chamado “estresse oxidativo” por isso, vão ficando em estado inflamatório. Esse estado caracteriza doenças como arteriosclerose, e demais patologias ligadas a vasos sanguíneos e artérias. 

Com o consumo regular da Uva os antioxidantes presentes nela vão “abrindo os caminhos” e limpando esses canais gradativamente. É lógico que não depende exclusivamente desse consumo porém, essa fruta pode ajudar em uma série de complicações como: regular a pressão arterial, baixar os níveis de colesterol ruim, reduzir a agregação plaquetária, melhorar a inflamação, reduzir os riscos de ataque cardíaco.

O sistema nervoso também, é muito beneficiado com o consumo regular dessa fruta. Isso porque o resveratol e suas propriedades antioxidantes podem proteger o cérebro dos danos do Alzheimer. Ele age prevenindo os danos oxidativos que são dados pelos radicais livres. Quanto maior o número de antioxidantes ingerido menor a chance de que as células cerebrais envelheçam e assim, percam sua função.

Além de comer a própria fruta a indicação é também que se consuma o suco da fruta em sua versão integral sem adição de açúcar. É muito importante ficar de olho quando for consumir qualquer tipo de suco de caixinha porque a maioria deles não é suco e sim, açúcar puro!

Afinal, é permitido Uva na dieta Low Carb?

A cada 100 gramas de uva são encontrados aproximadamente 14 gramas de carboidrato. Isso é um número considerado alto para quem está recentemente introduzindo essa dieta em seu dia a dia e por isso fica a ressalva, deve ser consumida com moderação.

A Uva apesar de conter um nível considerado alto de carboidratos pode SIM ser considerada Low Carb porque seu índice glicêmico é baixo, e por causa de seus inúmeros benefícios trazidos pelos antioxidantes presentes na fruta.

O mais indicado é introduzi-la na segunda fase da dieta, que é conhecida em uma fase de manutenção em que o corpo já começou a adaptar-se a essa dieta e já está queimando mais calorias com a combinação de fruta mais gordura boa. Por isso, é recomendado sempre come-la com a combinação de oleaginosas. E ficar de olho no número de carboidratos totais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *